Ofta

Como a Luteína filtra a luz azul e protege dos efeitos nocivos

A luz azul não é tão inofensiva quanto parece.

A luz azul pode causar, a longo prazo, danos irreversíveis à retina, como a cegueira. Luteína e Zeaxantina são substâncias que têm ação antioxidante, filtram a luz azul e protegem as células contra a ação dos radicais livres.

A luz azul até que não seria um problema se a vida hoje em dia não estivesse intimamente ligada à tecnologia. As maiores fontes dessa luz nociva são encontradas nos celulares (smartphones), tablets, telas de computadores e TVs de tela plana, ou seja, exatamente o que a população tem usado cada dia mais. Segundo estudos, a exposição prolongada pode causar degeneração macular, problemas sérios na retina, catarata e até mesmo levar à cegueira. A luz azul também vem pelo sol. A diferença é que nos protegemos dessa luz com óculos de sol. Agora, quem fica de óculos de sol no escritório?

Por isso precisamos nos proteger e nos prevenir desde cedo, com vitaminas que contenham luteína e atuem como filtros da luz.

A luteína, carotenóide macular de pigmentação amarela, é um potente antioxidante que previne danos causados por radicais livres nos tecidos. Esse carotenóide atua como filtro solar interno, protegendo a mácula ocular dos efeitos da luz azul.

Pessoas que ficam horas diante dessas fontes de luz azul, com o passar dos anos, podem sofrer consequências. Se uma pessoa se expõe durante 7h por dia nessa luz, a partir dos 18 anos, com 40 ela pode ter um problema.

O efeito é cumulativo, ou seja, não vai acontecer nada no mês seguinte, mas sim ao longo dos anos. A perda da sensibilidade visual, ocorrida em pessoas com idade avançada e baixa densidade do pigmento macular nos tecidos oculares, pode ser a precursora de algumas doenças dos olhos, incluindo a degeneração macular relacionada à idade (DMRI).